Funcionário afastado por dependência química, o que fazer quando isso acontece em sua empresa?

Todo trabalhador que contribui ou contribuiu com a Previdência Social, seja empregado ou desempregado, pode ter acesso ao benefício.

Para isso, é necessário que a pessoa prove que está em tratamento contra o vício em clínicas de reabilitação. Assim o dinheiro oferecido não será revertido em drogas.

Se o dependente estiver empregado, um perito irá examiná-lo para ter certeza de que ele está temporariamente incapaz de realizar suas atividades laborais. Além disso, o paciente precisa estar passando por abstinência.

Para concorrer ao auxílio, o cidadão precisa ter no mínimo 12 contribuições pagas, se for autônomo ou estiver empregado. Caso esteja desempregado, ele não pode ter passado mais de 13 meses sem contribuir com a Previdência.

Quem estiver um funcionário precisa estar afastado por dependência química por pelo menos 15 dias do trabalho, que podem ser corridos ou estarem intercalados em um período de 60 dias.

É possível solicitar o auxílio doença para funcionário dependente químico pela internet, no site da Previdência (clique AQUI). Você precisará informar uma série de documentos exigidos por eles, que estão todos demonstrados no site.

A dependência química é considerada pela Organização Mundial de Saúde uma doença progressiva, incurável e fatal, mas tratável. Isso quer dizer que com os cuidados adequados é possível que o indivíduo se recupere e tenha uma vida saudável.

Mas para que isso aconteça, em muitos casos é necessário que o indivíduo se afaste da sociedade e tenha cuidados médicos, psicológicos e reaprenda a conviver em sociedade. Para isso, a internação pode ser a melhor opção.

No entanto, muitos dependentes químicos, apesar de terem a doença, conseguem trabalhar e prover o sustento da família, por isso, é importante que haja uma garantia de que isso continue acontecendo através do auxílio doença.

TRABALHADOR DESEMPREGADO TEM DIREITO AO BENEFÍCIO?

O trabalhador desempregado tem direito ao auxílio doença para dependente químico quando o tempo de não contribuição não passe de 13 meses. Caso contrário, ele não terá direito ao benefício.

dependência química afeta todo o organismo do indivíduo, bem como a sua mente e o seu convívio social, impedindo-o de ter qualidade de vida.

Sem o domínio de sua própria vida em detrimento da droga, ele perde sua saúde e coloca em risco não só a sua vida, mas também a de seus familiares, uma vez que desenvolve comportamentos de risco.

A internação é uma medida extrema, mas muito necessária para sua recuperação e, por isso, é de suma importância que o indivíduo consiga concluir o tratamento de maneira adequada.

O auxílio doença para dependente químico é um meio de garantir que isso ocorra e que nem o trabalhador, nem sua família fiquem desamparados nesta situação.

Como pedir o auxílio doença para um funcionário dependente químico?

Quando o dependente químico entende que precisa de tratamento ou mesmo a família precisa agir com a internação compulsória, o benefício é necessário. Em algumas situações, o usuário pode passar dias na rua ou mesmo usar a substância no próprio ambiente de trabalho. Por isso, em alguns casos, a família precisa agir contra a vontade do dependente em casos extremos.

Por isso, ela é quem fica com a responsabilidade de pedir o auxílio doença no INSS. Para entrar com o pedido, são necessários alguns documentos como:

  • documento oficial de identificação com foto, sendo essencial que o dependente possa ser reconhecido por meio dessa identificação;
  • o número do CPF;
  • a carteira de trabalho, se for o caso, e todos os documentos que comprovem a contribuição para o INSS;
  • os documentos médicos relacionados ao exame clínico feito pelo especialista ou clínico geral que atendeu o dependente;
  • caso o dependente químico seja empregado, é necessário levar um documento — assinado pelo empregador — no qual a empresa informa qual foi o último dia trabalhado;
  • documento que informe de quanto será o tempo de afastamento para o tratamento na clínica.

Lembrando que, para ter o auxílio doença, é preciso cumprir um tempo de carência, ou seja, é necessário ter, ao menos, 12 contribuições pagas. Se o dependente for empregado em alguma empresa, esta deve entrar com o pedido no INSS. Mas, se esse não for o caso, é preciso agendar o atendimento pela internet. Funcionário afastado por dependência química

Quem é desempregado também tem o direito ao auxílio doença desde que não tenha ficado nessa condição por mais de 13 meses e tenha cumprido o tempo de carência.

Em resumo a dependência química é uma doença e todo empregado/ funcionário que esteja nos padrões de requisitos para se beneficiar terá direito a ter um auxílio para ser internado em clínicas de reabilitação.

Os bons resultados do tratamento em clínicas de reabilitação em SP também dependem da motivação do indivíduo e da ajuda de suas famílias.

Leia mais em nosso Guia de Clínicas de Recuperação artigos que te ajudarão a fazer um tratamento adequado.

Fale via WhatsApp: (11)97023-3830

Responder